Como não fazer uma lasanha de camarão

Adoro camarão e adoro lasanha, nada mais justo que juntar estas duas preferências. Na teoria é tudo muito simples, refogo o camarão na manteiga e reservo, vem a minha filha e rouba boa parte dos crustáceos, preparo o molho vermelho para juntar com o camarão e paralelamente o molho branco para intercalar as camadas. Não gosto de utilizar queijo fatiado, prefiro mussarela ralada grossa. Utilizo massa pré-cozida que dispensa o cozimento na água e é muito mais fácil de montar.

inicio a montagem da lasanha, massa, molho branco, queijo, massa, molho vermelho, queijo, massa, molho branco, queijo, massa, molho vermelho queijo, a aparência estava ótima, pena não ter sobrado camarão para decoração, no entanto a Maria Luiza havia feito bom proveito. Coloco no forno, deixo 25 minutos em fogo médio, o visual é bastante apetitoso, o queijo borbulhando nas extremidades da forma misturado com os molhos, levo para mesa, sorriso de orelha a orelha com orgulho do meu feito, pena que precipitadamente. Corto para servir e percebo o primeiro problema! Parece que está um pouco dura, sirvo todos, experimento e fico aguardando os comentários, silêncio total.

O gosto não está ruim, mas a massa esta dura e o camarão também, a massa pré-cozida necessita de um cozimento maior para ficar no ponto, já o camarão quanto mais se cozinha mais vai ficando, como direi…. emborrachado. O grande problema é que só tinha salada de acompanhamento, e a grande expectativa se transformou em frustração.

Espero aprender com o meu erro, mas melhor seria aprender com o erro dos outros.

Trilha sonora: Nei Lisboa – Verão em Calcutá
Bebida: Coca-Cola com bastante gelo


Um grande abraço a todos.

Punhetas da Dona Rosa

Passei dois dias em São Paulo, ritmo alucinante, correndo para cumprir horários, aeroporto para hotel, hotel para reunião, reunião para hotel, a noite respondo os e-mail recebidos no dia, ainda sem almoçar e sem disposição para nada, posto duas mensagens no twitter, e peço uma pizza da Dominos. Se demorar mais de ½ hora a pizza sai de graça, infelizmente entregam antes de esgotar o prazo, como meia pizza e pego no sono vendo TV. O dia seguinte é ainda mais cheio, acordo as 6h00, vejo o jornal, tomo banho, tomo café, pego um táxi e vou para mais uma reunião, falo sobre o trânsito com o taxista, a reunião atrasa, sacrifico mais um almoço e sigo para a próxima, chego meia hora mais cedo, verifico os e-mails enquanto espero, começa a reunião e demora mais do que o previsto, já são seis horas da tarde quando termina, o trânsito está um caos, ainda não fiz uma refeição decente, estou de carona com um colega, com todos os compromissos cumpridos estava na hora de relaxar.
Lembrei de um restaurante recomendado pelo Silvan chamado Academia da Gula, localizado na Vila Mariana, a poucos metros da 23 de maio, dirigido pela Dona Rosa, uma portuguesa muito carismática. Lugar simples, mas muito aconchegante, mesas na calçada, garçons simpáticos, e um vasto cardápio a base de bacalhau, no entanto por ser final de tarde não era o momento propício para jantar, mas ideal para um happy hour.
Qualquer restaurante português que se preze tem que fazer um bom bolinho de bacalhau, e o Academia da Gula faz um excelente bolinho de bacalhau, ainda mais acompanhado de um azeite de oliva de primeira qualidade, pimenta e cerveja Original muito gelada. Pensei em repetir a porção, mas a curiosidade de experimentar outros pratos foi maior, experimentei uma punheta…… Isso mesmo, punheta, petisco a base de bacalhau cru desfiado, cebola azeite de oliva, azeitonas pretas, leva este nome porque o bacalhau é desfiado com as mãos e misturado com os demais ingredientes. Apesar do nome curioso o sabor é indescritível, de comer ajoelhado. Para finalizar este refeição que se constituiu em meu almoço e janta pedi uma porção de pastéis de bacalhau, apsesar de saborosos não se comparavam aos outros pratos.
Aprovadíssimo, valeu cada centavo a visita a Academia da Gula.
Já era noite quando me dirigi ao hotel, só tive tempo para ligar para casa e ver como estava a minha família, caí na cama e só acordei a tempo de correr para o aeroporto e pegar o vôo de volta para casa, não vi nem ouvi a chuva que assolou São Paulo e deixou a marginal debaixo d’água.
Trilha sonora: Tim Maia – Festa de Santo Rei
Bebida: Cerveja Original hiper gelada

Academia da Gula
Rua Caravelas, 374
Vila Mariana – São Paulo
(11) 5572-2571
Um grande abraço a todos.

"Churrasco"

O churrasco não é apenas o principal prato da culinária gaúcha, é um elemento fundamental da nossa identidade histórica e cultural. O restante do Brasil acha que o gaúcho já nasce com o dom para assar um bom churrasco, mas não é bem assim, o bom assador, para nós é uma espécie de sábio, item que necessariamente deveria constar no currículo ou em alguns caso em uma biografia.
A maioria das churrascarias de São Paulo ou do Rio de Janeiro são melhores que as gaúchas, é claro que os churrasqueiros em geral são do Rio Grande e quase sempre de Nova Bréscia .O bom churrasco gaúcho não é servido em um restaurante, mas nos milhares de lares do nosso estado, e normalmente aos domingos porque o churrasco é sinônimo de festa, celebração, confraternização e ninguém come churrasco sozinho.
A preparação do churrasco é cercada de ritos, o churrasco é sagrado, por isso compartilhamos o churrasco com nossos amigos, com nossos familiares, o churrasco é a nossa comunhão. Além disso, todo assador ou aspirante a churrasqueiro, como é o meu caso, tem as suas manias, desde a forma de ascender o fogo, a preferência por determinados cortes o modo de espetar a carne.
No passado, nem tão distante assim, a maioria das minhas tentativas em preparar um churrasco se transformava em um desastre total, no entanto com o passar do tempo venho me empenhando e posso garantir que evolui bastante, apesar de ainda ter muita estrada para trilhar.


No último domingo preparei uma costela, preferi um corte mais largo que os tradicionais. Assei por umas três horas quase sempre com o osso virado para baixo. O visual era extremamente atrativo e o cheiro inigualável. O resultado foi surpreendente, digno de muitos elogios. É claro que as três horas ajudaram a abrir o apetite do pessoal.

Aproveito para homenagear neste post o meu compadre, o Lizandro, que é um dos melhores churrasqueiros que conheço e que preparou o melhor vazio que já provei.

Bebida: Chimarrão e Patrícia

Música: Jumpin Jack Flash/Rolling Stones

Um grande abraço a todos

A megasena e a Pururuca


Todo o cardápio da ceia de ano novo é especialmente preparado para atrair riqueza e fartura, é uma data onde até mesmo o ser mais racional tem as suas superstições, dá três pulinhos, usa peças de roupa com cores identificadas com os seus desejos, guarda bagos de uva na carteira entre outras tantas insanidades.

Eu, como qualquer mortal, não sou diferente, comi leitão, lentilha, uvas, coloquei cueca (nova) amarela, folha de louro na carteira, etc, etc, etc, pois como milhões de brasileiro tentei atrair a simpatia dos Deuses para ser um dos felizardos na “mega sena da virada”, também pudera com um Prêmio de mais de140 milhões. Quantas pessoas traçaram planos para a bolada, acredito que alguns fizeram até contas que deveriam ser pagas com o prêmio.
Como milhões não ganhei, e não sei se serve de consolo, o preço para os ganhadores será auto demais, pois ganhar um prêmio destes significa perdermos a nossa identidade. Se eu ganhasse R$ 140 milhões, não seria o mesmo, não seria eu mesmo, seria outro….Dirá o imbecil da obviedade que bastava ganhar a bolada e não contar para ninguém, manter em sigilo que foi o ganhador. E, cá para nós, o bom de ganhar uma fortuna é espalhar para todos que ganhou…e, espalhando, em que virará a sua casa? Será uma romaria interminável, obrigatoriamente você terá de se mudar, e não quero sair da cidade onde moro….com um grana destas não basta mudar de casa, precisamos mudar de cidade, e nem de cidade chega precisamos mudar de país…..outra desvantagem é que uma das atrações da vida, que é fazer amigos, fica inviável: qualquer pessoa que se aproximar de você será considerada interesseira…..concluo que se tivesse ganho na mega sena minha vida teria virado uma verdadeira encrenca.Parabéns a todos os perdedores!
Mas em compensação o cardápio da ceia estava dos deuses, leitão a pururuca, lentilhas, arroz a grega e farofa. Trata-se de uma cardápio acessível e de fácil preparação, que não precisaria estar restrito apenas a uma noite do ano, tanto que repeti este prato dois dias após a ceia.
O segredo do leitão não esta no tempero, apenas sal e alho, e sim na forma de assar o bicho, são algumas horas de forno baixo coberto com papel alumínio, e um outro tanto descoberto, depois de bem assado é só pururucar, ou seja, jogar o óleo quente do próprio assado sobre a pele do leitão (fora do forno). Bom apetite.

Bebida: Espumante Miolo Cuvée Tradition Brut Rose
Música: YOU SEXY THING – Hot Chocolate
Um grande abraço.