Como não fazer uma lasanha de camarão

Adoro camarão e adoro lasanha, nada mais justo que juntar estas duas preferências. Na teoria é tudo muito simples, refogo o camarão na manteiga e reservo, vem a minha filha e rouba boa parte dos crustáceos, preparo o molho vermelho para juntar com o camarão e paralelamente o molho branco para intercalar as camadas. Não gosto de utilizar queijo fatiado, prefiro mussarela ralada grossa. Utilizo massa pré-cozida que dispensa o cozimento na água e é muito mais fácil de montar.

inicio a montagem da lasanha, massa, molho branco, queijo, massa, molho vermelho, queijo, massa, molho branco, queijo, massa, molho vermelho queijo, a aparência estava ótima, pena não ter sobrado camarão para decoração, no entanto a Maria Luiza havia feito bom proveito. Coloco no forno, deixo 25 minutos em fogo médio, o visual é bastante apetitoso, o queijo borbulhando nas extremidades da forma misturado com os molhos, levo para mesa, sorriso de orelha a orelha com orgulho do meu feito, pena que precipitadamente. Corto para servir e percebo o primeiro problema! Parece que está um pouco dura, sirvo todos, experimento e fico aguardando os comentários, silêncio total.

O gosto não está ruim, mas a massa esta dura e o camarão também, a massa pré-cozida necessita de um cozimento maior para ficar no ponto, já o camarão quanto mais se cozinha mais vai ficando, como direi…. emborrachado. O grande problema é que só tinha salada de acompanhamento, e a grande expectativa se transformou em frustração.

Espero aprender com o meu erro, mas melhor seria aprender com o erro dos outros.

Trilha sonora: Nei Lisboa – Verão em Calcutá
Bebida: Coca-Cola com bastante gelo


Um grande abraço a todos.

Anúncios

A megasena e a Pururuca


Todo o cardápio da ceia de ano novo é especialmente preparado para atrair riqueza e fartura, é uma data onde até mesmo o ser mais racional tem as suas superstições, dá três pulinhos, usa peças de roupa com cores identificadas com os seus desejos, guarda bagos de uva na carteira entre outras tantas insanidades.

Eu, como qualquer mortal, não sou diferente, comi leitão, lentilha, uvas, coloquei cueca (nova) amarela, folha de louro na carteira, etc, etc, etc, pois como milhões de brasileiro tentei atrair a simpatia dos Deuses para ser um dos felizardos na “mega sena da virada”, também pudera com um Prêmio de mais de140 milhões. Quantas pessoas traçaram planos para a bolada, acredito que alguns fizeram até contas que deveriam ser pagas com o prêmio.
Como milhões não ganhei, e não sei se serve de consolo, o preço para os ganhadores será auto demais, pois ganhar um prêmio destes significa perdermos a nossa identidade. Se eu ganhasse R$ 140 milhões, não seria o mesmo, não seria eu mesmo, seria outro….Dirá o imbecil da obviedade que bastava ganhar a bolada e não contar para ninguém, manter em sigilo que foi o ganhador. E, cá para nós, o bom de ganhar uma fortuna é espalhar para todos que ganhou…e, espalhando, em que virará a sua casa? Será uma romaria interminável, obrigatoriamente você terá de se mudar, e não quero sair da cidade onde moro….com um grana destas não basta mudar de casa, precisamos mudar de cidade, e nem de cidade chega precisamos mudar de país…..outra desvantagem é que uma das atrações da vida, que é fazer amigos, fica inviável: qualquer pessoa que se aproximar de você será considerada interesseira…..concluo que se tivesse ganho na mega sena minha vida teria virado uma verdadeira encrenca.Parabéns a todos os perdedores!
Mas em compensação o cardápio da ceia estava dos deuses, leitão a pururuca, lentilhas, arroz a grega e farofa. Trata-se de uma cardápio acessível e de fácil preparação, que não precisaria estar restrito apenas a uma noite do ano, tanto que repeti este prato dois dias após a ceia.
O segredo do leitão não esta no tempero, apenas sal e alho, e sim na forma de assar o bicho, são algumas horas de forno baixo coberto com papel alumínio, e um outro tanto descoberto, depois de bem assado é só pururucar, ou seja, jogar o óleo quente do próprio assado sobre a pele do leitão (fora do forno). Bom apetite.

Bebida: Espumante Miolo Cuvée Tradition Brut Rose
Música: YOU SEXY THING – Hot Chocolate
Um grande abraço.

Picadinho Maria Luiza

É a segunda vez que preparo este prato. Confesso que o meu maior estímulo foi em função de levar o mesmo nome da minha filha, no entanto a simplicidade e o sabor encantou a todos.
Vi esta receita no Anonymus Gourmet, para quem transfiro todos os créditos.
A fotos acima é resultado da preparação do prato nesta data. Alterei o acompanhamento do parato inicial, substituí a farora por uma salada de rúcula com alface americana.

Ingredientes:

100g de bacon
600g de carne bovina (sugiro paleta, é deliciosa e macia)
300g de ervilhas congeladas
2 ovos
1 cebola
1 tomate
2 colheres (sopa) de massa de tomate

Modo de preparo:

1 – Numa frigideira ou panela bem quente, coloque uma colher de azeite. Dê uma boa refogada no bacon bem picado. Quando estiver crocante, adicione a carne cortada em pedaços não muito pequenos, mexendo bastante e dando uma boa corada na carne.
2 – Acrescente a cebola picada e espere ela amolecer um pouco. A seguir, o tomate picado e a massa de tomate. Misture para deixar o refogado bem homogêneo.

3 – Acres­cente as ervilhas. Por fim, junte os ovos, mis­­turando tudo. Espere cozinhar uns minutinhos e está pronto. Um pouco de pimenta-do-reino moída na hora, e muito cuidado com o sal porque o bacon já é bem salgado.

4 – Para o acompanhamento sugiro arroz branco, em saquinho é muito prático e batata palha.

Enquanto preparava a receita ouvia o programa Esportes ao meio Dia da rádio Gaúcha, e fiquei projetando o time do Grêmio para a próxima temporada, vai aí a minha escalação:

Vitor, Mario Fernandes, Réver, Rafa Marques e Lúcio.
Fábio Rochemback, Willian Magrão, Souza e Douglas Costa.
Borges e Leandro.

Vamos ver o meu percentual de acerto, e espero que este time nos de mais alegria do que em 2009.

Bebida: Chimarrão
Trilha Sonora: Esportes ao Meio Dia na rádio gaúcha

Um grande abraço a todos.